21.08.21, 15:52
Paraty

Areias mornas, sob os pés, macias;
praias de beleza ímpar,onde
o olhar se perde, se delicia;
límpidas águas calmas
que refrescam a pele, que molham,
banham e são refrigério para a alma!

O amor floresceu junto a ti,
entre montanhas, mar e cachoeiras,
por aqui, como a febre do ouro, passou,
aquecendo, percorrendo as suas veias!
Saltou e nadou por lagunas, entre
rochas e corredeiras!

Sobreviveu em dias de fé, poesia e namoradeiras!
Com luares que se derramam
nas solitárias madrugadas,
por ruas alagadas e maresias,
em brumas ora densas, ora amenas,
num gotejar suave de fria e fina neblina!

A vida transborda em suas vielas,
aos olhares dos casais enamorados,
que se encantam e se apaixonam
em suas varandas ou janelas!

O sol, quando aqui amanhece,
o dia, quando entardece,
o luar, vela por ti, e anoitece;
o mar do seu leito desce; então, todo
o meu amado amor, que enaltece,
é Paraty, bela! Que adormece...
Obserwuj wątek

Nie pamiętasz hasła

lub ?

 

Nie masz jeszcze konta? Zarejestruj się

Nakarm Pajacyka